Pensa o Bófia de que: é preciso desconfiar… (Joel G. Gomes)

… quando nos querem oferecer um carro, mas quem paga somos nós. Ou quando nos convidam para jantar fora, mas quem paga somos nós. Ou quando nos oferecem uma viagem, mas… Creio que já se percebeu.

Hoje vou falar de um tema recorrente entre quem anda pelo mundo da escrita independente e que, apesar dos muitos avisos, continua a ceifar vítimas. Falo, obviamente, daquele calo que aparece entre a primeira e a segunda falangeta do dedo médio derivado de apoiar a caneta.

É mentira: vou falar da chamada aldrabice, perdão, edição partilhada. (Ainda que o calo no dedo não seja um problema de pouca importância.) Edição partilhada, vanity-press, etc. é o equivalente a deitar um ovo cru por cima do empadão para ir ao forno e verificar que o ovo está estragado. A comparação não é inteiramente justa já que um ovo estragado, ainda assim, presta um melhor serviço do que estas empresas que afirmam ser capazes de:
«realizar o seu sonho de publicar uma obra».

E são. Mas não da forma que deveria ser. E não como se de um sonho se tratasse, e sim de um pesadelo. Servem-se dos incautos, fazem-lhes crer que é assim que as coisas funcionam quando não são famosos e, pior que tudo, dizem sim, dizem «a sua obra é boa, queremos publicá-la (mas é você que vai pagar tudo)». Esta parte que vem em parêntesis não é escondida, mas é ignorada perante a perspectiva de se ser publicado por uma editora “a sério”.

Foi por um mero acaso que não caí numa dessas cantigas. Farto de enviar cópias do meu livro para as grandes editoras (dica: começar sempre pelo topo), de não receber resposta ou de receber não como resposta, virei-me para este modelo. Onde outros demoravam um mês, ou seis, ou um ano a responder (quando respondiam), estes respondiam em menos de dez dias, ou, como aconteceu na primeira vez que tive contacto com “isto”, de um dia para o outro. Não fiz as contas ao tempo que seria necessário para avaliar um livro de 250 páginas. Não fiz as contas ao que esse investimento iria custar (não apenas financeiramente). Não considerei que a principal razão – a única razão – para quererem publicar o meu livro quando tantos outros tinham dito que não, era o facto das despesas ficarem por minha conta.  Felizmente, tive a sorte de ter quem me oferecesse uma tiragem menor por um preço mais baixo por exemplar.

(Leram bem: eu paguei para ter o meu livro publicado mas, por favor, não confundam edição de autor com isto. Informem-se.)

Só mais tarde é que me apercebi da asneira que ia cometendo. Volto a dizer: foi um acaso que me salvou de um mal que não estava tão disseminado como está hoje, com patrocínios em programas televisivos, reportagens em periódicos de grande tiragem, etc. É importante ter noção do seguinte: podemos nunca ser bons o suficiente para merecermos a atenção de uma editora séria, mas isso não nos deve obrigar a seguir por caminhos errados. Existe a edição de autor e, mais económica ainda, existe a opção de publicar online. Quando quase fiz asneira, não houve quem me avisasse; hoje em dia, o que não falta são avisos. Se ao menos os ouvissem…

Nota final: a minha avó costuma usar o termo “obrar” como sinónimo de “defecar”. Quando uma “editora” dessas vos convidar a pagar a publicação do vosso livro, vejam o que já publicou e lembrem-se que a regra dos três segundos não serve se deixarem cair o bolo no meio da trampa.

E não se esqueçam: se se cruzarem com:

Chiado Editora
Pastelaria Studios
Editora Épica
Círculo Rojo
Bubok
Papiro Editora
Silkskin Editora
Orquídea Edições
Papel de Arroz Editora

(em resumo, qualquer uma que vos peça o NIB)

passem para o outro lado da rua,

ou passem-lhes por cima.

Insultos, elogios ou sugestões, clique aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s